domingo, 19 de setembro de 2010

O escândalo das pesquisas



Passadas as eleições, o Brasil ainda terá que apurar um dos casos mais escandalosos de violação da lei eleitoral, o das fraudes inacreditavelmente evidentes em ao menos dois dos quatro maiores institutos de pesquisa de opinião. Porque será inaceitável que manipulações tão grosseiras fiquem impunes, sob a pena de voltarem a se repetir no futuro.
No calor da campanha eleitoral, com o foco em denúncias pré-eleitorais contra Dilma e o governo Lula que todos sabiam que sobreviriam, está passando batido o fato de que foi por terra aquela conversa fiada sobre os números de Datafolha e Ibope divergirem dos de Sensus e Vox Populi por “diferenças de metodologia”.
De 23 de abril (data em que o Movimento dos Sem Mídia entrou com representação na Justiça Eleitoral pedindo investigação dos quatro institutos) para cá, as diferenças foram caindo, caindo, caindo até que desaparecessem quase que por completo. Com metodologias diferentes e tudo.
A última rodada de pesquisas mostra um quadro suspeitíssimo, que poderá gerar adendo que o Movimento dos Sem Mídia eventualmente venha a fazer no processo que moveu na Procuradoria Geral Eleitoral, que, como sabem os mais informados, gerou investigação da Polícia Federal sobre os institutos de pesquisa, uma investigação que está em pleno curso.
Abaixo, a última rodada de pesquisas de intenção de voto para presidente:
11 a 12 de setembro – Sensus
Dilma – 50,5%
Serra – 26,4%
11 a 14 de setembro – Vox Populi
Dilma – 51%
Serra – 24%

13 a 15 de setembro – Datafolha
Dilma – 51%
Serra – 27%
14 a 16 de setembro – Ibope
Dilma – 51%
Serra – 25%
PS : O questionário da pesquisa Datafolha registrada no TSE na última sexta-feira, a meu ver constitui crime eleitoral por fazer propaganda negativa de Dilma Rousseff de forma velada. O questionário faz extensas perguntas sobre o caso Erenice Guerra que praticamente induzem a resposta do entrevistado. Vamos ver o que diz o Jurídico do MSM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário