segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O PT AS FARC E O ESTADÃO



 
Mesmo com todos os seus pecados (e Deus, que é brasileiro, sabe de sua quantidade e dimensões), a mídia dominante tupiniquim deveria pensar duas vezes antes de se equiparar em sabujice com algumas de suas vizinhas, como a colombiana ou a venezuelana. Isto só faz rebaixá-la.




1 DE AGOSTO DE 2008 - 14h58
O Estadão e a conexão Farc-PT: muito barulho por nada

Documentos indicam conexão das Farc com políticos do PT, foi a escandalosa manchete do jornal O Estado de S. Paulo nesta sexta-feira (1º). Nela, o Estadão compra a versão da revista colombiana Cambio, que por sua vez comprou a do presidente Álvaro Uribe, a partir do suposto conteúdo do suposto computador do guerrilheiro Raul Reyes, assassinado em 1º de março. A matéria na página 14, mais honesta, não confirma a manchete.


Por Bernardo Joffily


Capas do 'Estadão' e da 'Câmbio': manchete infeliz

O texto coloca sempre no condicional a suposta denúncia da revista, de um ''Dossiê brasileiro''. Fala de ''documentos que teriam sido entregues pelo presidente colombiano, Álvaro Uribe, ao seu colega brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e supostamente provariam os contatos de integrantes do governo brasileiro e do Partido dos Trabalhadores (PT) com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)''.


''Notável diferença''


O redator da matéria, mais escrupuloso que o editor da capa, registra que a reportagem de Cambio ''usa tons duros em sua denúncia (como 'vínculos que chegaram a níveis escandalosos'), apesar de reconhecer que nenhum dos funcionários do governo brasileiro citados passou e-mails diretamente para membros das Farc. Também contém imprecisões - José Dirceu, por exemplo, é identificado como ministro e não ex-ministro da Casa Civil''.


A suposta base documental do ''dossiê'' é frágil ? e-mails supostamente enviados por Oliverio Medina, militante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia asilado no Brasil. As próprias mensagens atestam os cuidados das autoridades brasileiras para não criar problemas nas relações com a Colômbia. E o próprio jornal paulista, no texto interno, esvazia qualquer suposto escândalo diplomático que a revista colombiana parece instigar.


''É notável a diferença no modo como a Colômbia denunciou, em março, as ligações das Farc com a Venezuela e o Equador usando as informações encontradas no mesmo PC de Reyes. Na ocasião, o próprio Uribe foi à televisão para criticar, num discurso inflamado, as conexões dos vizinhos com a guerrilha. Dessa vez, em nome das boas relações com o Brasil, preferiu pedir providências a Lula numa reunião fechada. Bogotá diz que 'respeita a autonomia' do Brasil na análise das informações do computador de Reyes. 'É o Brasil que deve avançar em atribuir as eventuais responsabilidades', afirmou o chanceler Jaime Bermúdez.''

http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=41317

Nenhum comentário:

Postar um comentário